Outubro – mês da arquitetura

O dia mundial da arquitetura foi comemorado no passado dia 4 de Outubro (a primeira segunda-feira do mês), estando assim a decorrer em Portugal o mês dedicado à Arquitetura, com um conjunto alargado de eventos a decorrer um pouco por todo o país.

A UIA (União Internacional de Arquitetos) lançou o tema / desafio para 2021: Clean environment for a healthy world. Mais uma vez se insiste na problemática do ambiente e na necessidade de ação urgente no que toca às políticas ambientais.

A arquitetura, pela mão dos arquitetos, desempenha um papel fundamental no planeamento e desenvolvimento do nosso planeta enquanto casa de todos. Muito embora cada arquiteto contribua de forma singular com aquilo que é o seu trabalho exclusivo, o desígnio global deverá ser comum a toda a classe, trabalhando em prol das necessidades efetivas mundiais, discutindo e recorrendo a soluções que contribuam para o desenvolvimento de um planeta mais saudável.

O cuidado com a natureza e o consumo consciente de seus recursos asseguram o bem-estar de todos e o futuro das próximas gerações. O arquiteto deverá analisar sempre os fatores regionais dos seus projetos para obter soluções eficientes e ter o máximo de aproveitamento do clima onde a construção é feita. Atualmente, os indivíduos passam a maioria do seu tempo no interior de edifícios e, em climas extremos, os edifícios ganham ainda maior importância, pois perante condições exteriores severas, a realização de atividades remete para espaços interiores. Portanto, é necessário pensar na qualidade desses ambientes e na forma como influenciam a saúde e o conforto dos indivíduos sem descuidar dos sistemas adotados que devem basear-se em premissas sustentáveis.

O arquiteto, enquanto projetista, tem um papel de tal forma relevante no bem estar do indivíduo enquanto ser que necessita de espaços para as suas atividades diárias, desde os jardins e edifícios públicos até à habitação particular, que lhe é exigido conhecimento constante do que são os sistemas e técnicas de construção que melhor se adequam à sua obra e que menor impacto têm no ambiente, a curto e a longo prazo. Á vertente artística da atividade do arquiteto, que todos reconhecemos e apreciamos, junta-se sempre o conhecimento técnico que, em conjunto, originam conceções arquitetónicas eficazes e geradoras de bem estar.

Citando o grande arquiteto Renzo Piano, “a sustentabilidade consiste em construir pensando no futuro”. O arquiteto projeta hoje, para o futuro. Para um futuro melhor.

 

Partilhe este artigo:

Outubro – mês da arquitetura

O dia mundial da arquitetura foi comemorado no passado dia 4 de Outubro (a primeira segunda-feira do mês), estando assim a decorrer em Portugal o mês dedicado à Arquitetura, com um conjunto alargado de eventos a decorrer um pouco por todo o país.

A UIA (União Internacional de Arquitetos) lançou o tema / desafio para 2021: Clean environment for a healthy world. Mais uma vez se insiste na problemática do ambiente e na necessidade de ação urgente no que toca às políticas ambientais.

A arquitetura, pela mão dos arquitetos, desempenha um papel fundamental no planeamento e desenvolvimento do nosso planeta enquanto casa de todos. Muito embora cada arquiteto contribua de forma singular com aquilo que é o seu trabalho exclusivo, o desígnio global deverá ser comum a toda a classe, trabalhando em prol das necessidades efetivas mundiais, discutindo e recorrendo a soluções que contribuam para o desenvolvimento de um planeta mais saudável.

O cuidado com a natureza e o consumo consciente de seus recursos asseguram o bem-estar de todos e o futuro das próximas gerações. O arquiteto deverá analisar sempre os fatores regionais dos seus projetos para obter soluções eficientes e ter o máximo de aproveitamento do clima onde a construção é feita. Atualmente, os indivíduos passam a maioria do seu tempo no interior de edifícios e, em climas extremos, os edifícios ganham ainda maior importância, pois perante condições exteriores severas, a realização de atividades remete para espaços interiores. Portanto, é necessário pensar na qualidade desses ambientes e na forma como influenciam a saúde e o conforto dos indivíduos sem descuidar dos sistemas adotados que devem basear-se em premissas sustentáveis.

O arquiteto, enquanto projetista, tem um papel de tal forma relevante no bem estar do indivíduo enquanto ser que necessita de espaços para as suas atividades diárias, desde os jardins e edifícios públicos até à habitação particular, que lhe é exigido conhecimento constante do que são os sistemas e técnicas de construção que melhor se adequam à sua obra e que menor impacto têm no ambiente, a curto e a longo prazo. Á vertente artística da atividade do arquiteto, que todos reconhecemos e apreciamos, junta-se sempre o conhecimento técnico que, em conjunto, originam conceções arquitetónicas eficazes e geradoras de bem estar.

Citando o grande arquiteto Renzo Piano, “a sustentabilidade consiste em construir pensando no futuro”. O arquiteto projeta hoje, para o futuro. Para um futuro melhor.

 

Partilhe este artigo:

Quer ser

Contactado?

Deixe-nos os seus dados.
Nós ligamos-lhe!

Este website utiliza cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Leia a nossa Política de Privacidade.